Acabou? Não!

julho 8, 2015

Depois de um longo vazio aqui no blog, volto para esclarecer: o Visão e Sentimento não acabou, apenas ganhou outras formas e até redes sociais. Acompanhe os posts pela hashtag no Instagram: #visaoesentimento ou pelo @smasotti

Anúncios

Sentimento mar

fevereiro 3, 2012

um sentimento de mar
massificando meu ser
amassiando como se a onda fosse um martelo
bate em mim, eu resisto
volta mole, eu me entrego
contorna-me e transborda
água é vida, mas também é transporte
como transporte é comunicação
e tudo é uma coisa só sendo cada uma de uma vez por todas.

levo, devolvo,
recesso que é meu
lugar para onde vou para me levar daqui
recesso escondido em mim
lugar para ser o que sou sem precisar ser
bem ou mal, mar é além aqui
é o presente – vem a onda – buscando o passado – bate na areia – levando pro futuro – volta a onda – sendo agora – mar.

a areia afunda o que fica
mas nada fica por muito tempo nela
como a vida que vai e volta
repetindo ondas, repetindo revoltas
repito eu pra rainha do mar: “abra as águas por onde eu passar e que me passe a divagar”


Pode ser, cálculo múltiplo

novembro 30, 2010
[é quando meu sorriso se abre com algumas palavras
é quando eu páro tudo quando ele diz “EI!”
é quando o mundo pára só pra eu olhar naqueles olhos…]

ei!,
eu não sei
rimas bobas
e palavras clichês
saltam à minha frente.

ei!,
pode ser
alegria solta
rir em viver
vontade recorrente.

ei!,
acho que vai ser
como risada solta
vontade de morder
muito mais do que se sente.

ei!,
quem sabe talvez
como mãe que escolta
como um filho que faz acender
laço transcendente.

ei!,
só por ser
dias frios em volta
entre tantos “não sei”
alarga-se o presente.

ei!,
entre ir e abster
seu abraço se fez minha corda
e nem foi por querer
mas talvez seja pra sempre.

ei!,
não dá mais para romper
você é meu o coeficiente
nem adiantar rever
cálculo múltiplo para além do evidente.


de noites e de estrelas

outubro 26, 2010

toda noite tem estrela
mas nem toda noite brilha.
toda noite tem lua
mas tem noite que ela mingua.

a gente só vê um pedaço do céu
e só vê de um lado
mas acha ele bonito assim mesmo.

a gente só conhece uma parte
e só entende um pedaço
mas se apaixona mesmo assim.

a gente só vê a chuva cair
e só acha que ela cai
mas se encanta mais quando ela volta e ameniza.

a gente só conhece uma parte
e só entende um pedaço
mas acha o amor mesmo assim.


lovet

setembro 15, 2010




















É poético dizer ao contrário
Como o último e o primeiro*
Lhe digo que te odeio.
*referência à música “Amor meu grande amor” de Angela Ro Ro e Ana Terra, consagrada pelo Barão Vermelho.

seis e oito

agosto 15, 2010

É tarde da noite e de repente ele começa:
Brinca de pique se esconde entre as nuvens,
Brinca de se esconder no horizonte,
Brinca como quem prega uma peça.

As luzes do espetáculo anterior ainda não se apagaram.
Mas lá vem ele… chega de mansinho, dá um beijo antes dela sair.
Ela compreende que agora o espetáculo é dele, respeita, fica de lado, se ofusca e deixa-o reinar.

Ele aproveita: vem com tudo, aquela energia de sobra.
Em poucos minutos surpreende, surge na linha do horizonte.

O horizonte parece sustentá-lo em sua grandiosidade.
Ah… O horizonte!
É forte, é ponte, é rio, é mar, é caminho para quem deseja atravessá-lo.
Dizem que para além dele existe um lugar bonito e tranquilo pra gente se amar.
Olho-o e imagino isto.
Olho e nos imagino.

De que vale o paraíso sem amor?
Me desloco para o além-mar.
Me desloco para a beira de um rio.
Um rio-mar.
Um rio de amar.
Um amor de rio.
Um suspiro de amar.
Um riso no ar.
Um sorriso pra olhar.

Surge um novo alguém.
Chega, se aproxima como quem não quer nada.
Quer sim. E só de ver, também quis.
Quis deixar as lembranças no quarto das lembranças.
Quis viver um pouco aqui.
Qualquer lugar é lugar, qualquer hora é hora,
Porque há mistérios. E sempre irão nos atormentar.

Tormenta boa, onda que bate na areia, onda que molha os pés, onda de mar.
Deixo a onda bater.
Não sei de onde vem e pra onde quer me levar.
Não quero saber.
Viver é saber a hora de guiar e a hora de si, fechar os olhos.
Viver é se permitir. E eu me permito a tudo que vem do mar.

A água e sua força e seu poder e seu gosto e sua espuma e seu movimento…
Vem e me lava e me leva e me esfrega na areia até eu sentir falta de ar.
Só pra depois vir com tudo, respirando mais fundo, alívio depois do apuro, sabor de vida que vem do mar.

É hora de respirar.
Tempo de tempo, tempo de silêncio, tempo de beira de rio, tempo de beira de mar, tempo que beira amar.
Tempo tempo tempo a me traçar.
Tempo pro sol. Tempo pra lua. Tempo pra mim. Tempo.

sol - por Stefânia Masotti


pra onde vai o que fica pra trás?

julho 17, 2010

vá, ande, caminhe.
olhe pro céu, olhe pro chão, contraste, estranhe.
caminhe!
caminho se faz
and
ando.

mas pára!
olhe por onde.
entendimento se faz
olh
ando.

mas pára!
feche os olhos.
veja.
pensamento se faz
ima
gin
ando.

mas pára!
volte.
caminhe de costas, veja de um outro ângulo.
veja que esquisito, se esquisite , se inquiete, se perceba de costas, tropece, caia nos seus limites.

mas pára!
veje sua ferida.
sangue, dor, reação biológica, febre.
sinta ANTES de ver.
veja
sent
indo.

imagine.
seja livre.
dor não é só dor.
amor também dói.

mas pára!
esquece a ferida, a dor.
não, não não não NÃO ESQUEÇA, mas sorria.
veja novas possibilidades.
quebre, desconstrua os seus costumes.
mas pára!

vire 36 graus
e meio.
dê cinco passos
e 25 por cento .

interrompa.
esqueça o cálculo.
erre a conta.
invente um novo resultado.
viva esse erro tão querido.

quebre.
deixe pedaços de fora.
remonte esta morte.
e então caminhe,
e viva
par
ando.


in

junho 12, 2010

do lado direito.
mas comigo
mais.

por todos os lados.
sem você.
menos.

onde.
contigo.
agora ser.


do que thá

maio 12, 2010

sincero espontâneo do acaso
do que fala
do que faz
do que thá.

ao laço que eu desfaço
solto o nó e venho pra ti.


para com a regra

abril 18, 2010

para ir
para lá
paraná.

parar aqui
parana
para ali.

pára pará
parana
pra mim.

pará pá pá
paraná
pará clackt bum.

pra parar
paraná
pra parar aqui.