Archive for janeiro, 2010

Flor de Tinta Fresca

janeiro 28, 2010

eu vou mandar fazer uma flor com o nosso DNA
vai ser da cor dos sonhos – que nos levam,
com cheiro das nossas peles – que gritam
e frutos do nosso sexo – que acalma.

para a mistura:
um pedaço seu em mim
e um pedaço meu em ti
multiplicados com uma pitada da nossa saliva.

instruções:
germinar ao sol do amanhecer,
expor à lua quando nasce.

plantar em terra de mangue
com água de mar um dia, água de rio noutro
e pororoca aos finais de semana.

quando brotar a primeira flor,
deixar que se desmanche
e volte à terra como cinzas do nosso amor.

as seguintes, que se espalhe
com aquele vento florescente da primavera.

e no outro ano,
quando nosso amor já for outro,
que cada um plante uma nova flor
com DNA de bioarte
que se renova a cada oxigênio de tinta fresca.

(inspirado na obra “Edunia” de Eduardo Kac)

o que ele busca?

janeiro 20, 2010

o que ele busca?
que gera tombo,
que gera risada,
que gera quebra.

o que ele busca?
quando lê um poema,
quando fala o que sente,
quando chora na frente e na cara?

o que ele busca?
quando luta com a física
quando pensa com a matemática
quando mistura tudo isso com poesia?

o que ele busca?
quando surge perdido de noite
quando pára tudo e recita uma poesia
quando grita amor em meio profano?

o que ele busca?
que grita,
que chora,
que é.

vá a praia!

janeiro 12, 2010

vai à praia
se queima
fica toda vermelha
mas não mergulha na água
(hora poluição,
hora correnteza).

mas vá à praia
beba água no coco
sente na areia
sente a areia
pequenos farelos
que grudam
que fazem castelo.

esqueça a poluição,
deixa a maré te levar,
deixa o calor bater.
sinta a água gelada
não fique com medo,
acostuma e passa.
onda vem, distrai e salva.

venha pra praia
veja o sol nascendo
pessoas caminhando
pessoas nadando
pessoas com preguiça
sorriso-choro-silêncio-euforia.

vamos pra praia
paraíso da diversidade
e ninguém liga.