de noites e de estrelas

outubro 26, 2010

toda noite tem estrela
mas nem toda noite brilha.
toda noite tem lua
mas tem noite que ela mingua.

a gente só vê um pedaço do céu
e só vê de um lado
mas acha ele bonito assim mesmo.

a gente só conhece uma parte
e só entende um pedaço
mas se apaixona mesmo assim.

a gente só vê a chuva cair
e só acha que ela cai
mas se encanta mais quando ela volta e ameniza.

a gente só conhece uma parte
e só entende um pedaço
mas acha o amor mesmo assim.

Anúncios

Uma resposta to “de noites e de estrelas”

  1. Rubia Says:

    “A poesia, sempre em busca de novas formas para o desconhecido, e a ciência, que freqüentemente se escora na linguagem matemática, possuem a mesma urgência em tentar decifrar o que não tem significado fixo e ainda não se pode alcançar.”…

    …”Ciência e poesia pertencem à mesma busca imaginativa, embora ligadas a domínios diferentes de conhecimento e valor. A visão poética cresce da intuição criativa, da experiência humana singular e do conhecimento do poeta. A ciência gira em torno do fazer concreto, da construção de imagens comuns, da experiência compartilhada e da edificação do conhecimento coletivo sobre o entorno material. As aproximações entre ciência e poesia revelam-se maravilhosas, dentro de um mesmo sentimento do mundo”…

    Murilo Mendes: Janelas para o caos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: